Uma Noite de Amor (1934)

Com o advento do cinema sonoro, no início da década de 1930, os responsáveis pelos estúdios tinham o receio que algumas estrelas do cinema mudo não conseguissem fazer a transição com sucesso. Para remediar um eventual problema, que em alguns casos se tornou real, os estúdios resolveram contratar actores de teatro e até cantores de ópera.

Grace Moore foi uma das cantoras que se transferiu para Hollywood, graças a um contracto com a Metro-Goldwyn-Mayer (MGM). No entanto, os dois primeiros filmes da actriz (A Lady’s Morals e New Moon, ambos de 1930) revelaram-se um fracasso, muito devido ao temperamento e excesso de peso da actriz. Moore teve, então, de voltar a cantar, mas o contracto que conseguiu valia metade do que habitualmente recebia antes de ir para Hollywood. Moore jurou que um dia iria regressar em triunfo a Hollywood e, mais concretamente, à MGM, independentemente do tempo que demorasse.

Foram necessários 3 anos até que a Columbia Pictures oferecesse um contracto a Moore, de cerca de 25 mil dólares por filme. Embora deseja-se regressar à MGM, onde tinha possibilidade de protagonizar A Viúva Alegre tal desejo não se concretizou e Moore aceitou a proposta da Columbia. No entanto, os problemas começaram cedo, já que o estúdio não sabia que tipo de filme a actriz deveria protagonizar (filmes com música de ópera não eram bem vistos junto do público). Perante esta dificuldade, a Columbia quis rescindir o contracto com Moore, mas esta, com a sua atitude de diva, recusou e o estúdio foi forçado a arranjar um filme para a actriz.

Everett Riskin, produtor designado para a produção do filme de Moore, encontrou numa peça inédita de 1931 a história romântica que seria ideal para a actriz. Esta tinha ideias muito próprias quanto à música que queria cantar no filme e convenceu Harry Cohn, o patrão da Columbia, a cantar obras clássicas, entre elas Madame Butterfly, de Puccini.

Com uma produção atribulada devido ao temperamento da actriz, Uma Noite de Amor custou cerca de 200 mil dólares e só após testes realizados em Los Angeles, o estúdio acreditou nas possibilidades do filme. Este tornou-se num sucesso de crítica e bilheteira, tendo conseguido 6 nomeações aos Óscares e arrecadado o prémio para melhor partitura, categoria introduzida nessa edição de 1934. Típico de Hollywood, o sucesso de Uma Noite de Amor levou os outros estúdios a contratarem cantoras de ópera, numa moda que durou pouco, até pelos limites das possíveis variações do tema.


One Night of Love Columbia Pictures, Estados Unidos, 1934, 84 min., musical. Realizador: Victor Schertzinger. Argumento: S.K. Lauren, James Gow, Edmund H. North, baseado na peça de Dorothy Speare e Charles Beahan. Actores: Grace Moore, Tullio Carminati, Lyle Talbot, Mona Barrie, Jessie Ralph

A tempestuosa relação entre uma novata cantora de ópera e o seu professor impede que se apercebam que estão apaixonados um pelo outro.