Uma Noite Aconteceu (1934)

Quando Samuel Hopkins Adams publicou, em 1933, a história Night Bus na revista Cosmopolitan, estava longe de imaginar que ela viria a transformar-se numa das melhores comédias da história da sétima arte. Adams, escritor de biografias, romances e de ficção-cientifica, escreveu nesse ano duas histórias passadas em autocarros, mas foi Night Bus a que inspirou Frank Capra.

Na obra de Adams, o personagem principal, um professor de química, era pouco apelativo e Capra e o argumentista Robert Riskin acharam por bem transformá-lo num jornalista teimoso. O papel da personagem feminina principal levantava um problema maior: como tornar simpática e atraente aos olhos do público, em plena Depressão, uma herdeira mimada? Capra e Riskin decidiram fazer de Ellie uma princesa insatisfeita que luta pela sua liberdade e amor. Embora o argumento seja fiel à história, a adaptação de Riskin trouxe maior profundidade aos personagens e realçou o lado sentimental da história.

Robert Montgomery foi a primeira escolha de Capra para o papel do jornalista Peter Warne, mas o actor acabara de rodar um filme passado num autocarro que não tinha tido grande sucesso e recusou participar no filme de Capra.

Clark Gable, uma das estrelas da Metro-Goldwyn-Mayer (MGM), tornou-se numa escolha viável para participar no filme porque tinha entrado em conflito com o responsável da MGM, Louis B. Mayer, e este, para o castigar, emprestou-o à “pobre” Columbia. Como forma de protesto, Gable chegou ao estúdio bêbado o que inspirou Riskin para a cena em que Peter Warne surge pela primeira vez no filme.

Para o papel feminino, Capra não conseguiu nenhum dos nomes que pretendia, porque nenhuma actriz que se prezasse aceitava participar num filme que apenas tinha duas mudanças de roupa. Capra tentou contratar Bette Davis, Carole Lombard, Myrna Loy, Constance Bennett, Miriam Hopkins e Margaret Sullivan, mas todas recusaram interpretar o papel de Ellie. Após contratar Gable, Capra conseguiu atrair uma das suas (últimas) escolhas: Claudette Colbert. Colbert não era uma das figuras de proa da Paramount Pictures e achou que o seu estúdio lhe daria muito mais atenção ao contracenar ao lado de Gable. No entanto, Colbert só aceitou ser emprestada à Columbia perante a satisfação de duas condições: que o seu salário duplica-se e que a rodagem do filme apenas demorasse quatro semanas de modo a poder juntar-se aos seus amigos numa estância de inverno. Já na estância, a actriz confessou que tinha “acabado de rodar o pior filme do mundo”.

As filmagens tiveram início a 13 de Novembro de 1933 e muito embora o desagrado inicial de Gable, o actor acabou por admitir que rodar o filme podia, afinal, ser divertido, até porque o realizador permitia aos seus actores improvisarem e tornar os personagens mais reais. Já Colbert mantinha o seu cepticismo, especialmente e relação à cena em que todos os ocupantes do autocarro cantam The Man on the Flying Trapeze. A cena, não sendo das mais importantes do filme, resultou muito bem e é um bom exemplo da forma como um pequeno estúdio funciona e da liberdade que Capra tinha na Columbia. Segundo o realizador, a burocracia de um grande estúdio impediria que uma ideia surgida durante as filmagens chegasse ao ecrã, mas a liberdade que tinha permitia-lhe concretizar as suas ideias e melhorar o filme.

Após 36 dias de rodagem e um orçamento de 350 mil dólares Uma Noite Aconteceu estreou a 23 de Fevereiro de 1934 e segundo o director de fotografia Joseph Walker, apenas Capra esteve interessado em fazer o filme e até Riskin apenas aceitou escrever o argumento depois de A Revolta na Bounty ter sido cancelado porque revelou-se ser muito caro para a Columbia. Mesmo com tanta resistência e críticas modestas, o filme transformou-se no inesperado sucesso do ano e acabou por vencer os cinco principais Óscares: melhor filme, melhor realizador, melhor actor, melhor actriz e melhor argumento. Capra por pouco que não subia ao palco para receber o seu prémio, porque no ano anterior estava tão convencido que iria ganhar por Milionária por Um Dia que quando o locutor anunciou “Vem buscá-lo Frank”, Capra levantou-se e só a a meio do caminho se apercebeu que o prémio era para Frank Lloyd pelo filme Cavalcade. Mas o melhor agradecimento da noite veio de Claudette Colbert que no seu discurso de aceitação reconheceu que o Óscar que acabara de ganhar se devia a Frank Capra .

Uma Noite Aconteceu é um excelente reflexo da depressão e um exemplo da mestria de Capra, que não desperdiça um único minuto de filme. O realizador até se dá ao luxo de algumas ousadias como são as cenas onde Ellie deita para o chão uma mesa cheia de comida e abandona um casamento luxuoso: situações delicadas numa altura em que a depressão se fazia sentir fortemente.

Nestas circunstâncias, o cinema funcionava, mais do que nunca, como um escape à dureza da vida e fazia acreditar que era possível uma vida melhor. Numa altura em que a diferença de classes era abismal, o filme permitia sonhar que as classes mais baixas podiam aspirar a algo melhor. O seu humor, não só permitia atenuar o lado negro do retrato social como tornava o sonho ainda mais delicioso. O facto de o filme ser, ainda hoje, uma das melhores comédias da sétima arte atesta bem da sua qualidade.


Happened One Night Columbia Pictures, Estados Unidos, 1934, 105 min., comédia. Realizador: Frank Capra. Argumento: Robert Riskin, baseado na história “Night Bus” de Samuel Hopkins Adams. Actores: Clark Gable, Claudette Colbert, Walter Connolly, Roscoe Karns, Jameson Thomas.

Uma jovem abastada foge do pai por este não concordar com o seu casamento e é ajudada por um jornalista que anda atrás da sua história.