O Pequeno César (1930)

Realizado em 1930 por Mervyn Leroy, O Pequeno César é um marco da história da sétima arte e uma referência dos filmes de gangsters, tão em voga na década de 1930. Embora não tenha sido o primeiro filme do género (essa honra cabe a Lights of New York, de 1928), O Pequeno César, com o seu estilo simples e duro, viria a marcar definitivamente o género e a ser copiado por todos os filmes que se seguiram, grande parte produzidos pela Warner Bros.

A popularidade do género deveu-se ao facto de, na década de 20, os Estados Unidos terem sido palco de violentos confrontos entre gangsters, que controlavam o sub-mundo do crime na altura da proibição. Os chefes dos gangsters tornaram-se “celebridades” e enchiam as páginas dos jornais atraindo o fascinio do público. Este cenário era ideal para os estúdios de cinema que cedo o aproveitaram para o grande ecrã. Os filmes sonoros, que na altura eram ainda uma novidade, revelaram-se o cenário perfeito para este tipo de filmes, onde predominam diálogos duros e rápidos e o som dos tiros permitiam a acção ganhar outra dimensão. É neste cenário que surge O Pequeno César, que demonstra a natureza rudimentar da técnica cinematográfica da época, mas cuja narrativa simples e dura é de uma eficácia sem precedentes, construindo um contundente retrato do sub-mundo do crime.

Para além da realização de Mervyn Leroy, O Pequeno César deve muito da sua eficácia à magnífica interpretação de Edward G. Robinson, cuja personagem é baseada na figura do lendário gangster Al Capone. A qualidade da interpretação de Robinson foi tal que o actor não mais conseguiu afastar-se dessa imagem de “homem duro” e por muito que tentasse foi sempre essa a imagem que o público reteve. No entanto, a Academia das Ciências Cinematográficas não reconheceu a qualidade do trabalho de Robinson e o filme apenas recebeu uma nomeação para melhor argumento adaptado, que viria a perder para Cimarron.

O Pequeno César foi de tal forma marcante que tornou conhecido Darryl F. Zanuck, o responsável pela produção da Warner Bros, e Hal Wallis, que aqui produz o seu primeiro filme dos 203 que marcaram a sua carreira. Vários filmes do género se seguiram, entre eles O Inimigo Público, Scarface,** O Homem da Cicatriz*, e* Anjos de Cara Negra**, explorando o género de todas as formas possíveis e imagináveis. No entanto, o género revelou-se demasiado violento e problemático para o Código de Produção e perdeu a sua vitalidade no final da década de 30, desaparecendo quase por completo.


The Little Caesar First National Pictures / Warner Bros. Estados Unidos, 1930, 76 min., crime. Realizador: Mervyn LeRoy. Argumento: Francis Edward Faragoh, baseado no romance de W.R. Burnett. Actores: Edward G. Robinson, Douglas Fairbanks Jr., Glenda Farrell, William Collier Jr., Sidney Blackmer, Ralph Ince, Thomas E. Jackson, Stanley Fields, Maurice Black

Um brutal criminoso de Chicago tudo faz para conseguir subir na vida e ser reconhecido como líder de um grupo de gangsters.