Ataque da Mulher Gigante (1958)

A década de 1950, nos Estados Unidos, assistiu ao apogeu do drive-in, “salas” de cinema ao ar livre em que as pessoas assistiam aos filmes dentro dos seus carros. Os filmes ai exibidos eram, modo geral, produções de baixo orçamento destinadas aos adolescentes e sobre temas populares. Ataque da Mulher Gigante é um típico filme de drive-in, não só por “aproveitar” um tema popular à época (a exploração espacial e a invasão de extra-terrestres), como o seu baixo orçamento e toda a sua produção têm origem no próprio negócio dos drive-ins.

Ataque da Mulher Gigante resulta do esforço do produtor Bernard Woolner, cujos irmãos detinham diversos drive-ins no sul dos Estados Unidos e tinham começado a investir, anos antes, na produção e distribuição de filmes, nomeadamente os do conhecido produtor de série B Roger Corman. Woolner juntou-se a Jacques Marquette, que tinha fundado a sua própria produtora de forma a estabelecer-se como diretor de fotografia, e conseguiu obter os cerca de 99 mil dólares de orçamento do filme através da distribuidora Allied Artists Pictures.

Para a realização do filme, Woolner escolheu Nathan Juran, que trabalhou nos departamentos de arte da 20th Century Fox e da Universal e realizou todo o tipo de filmes; dos westerns aos filmes de crime, “especializando-se” em filmes de ficção-cientifica e de fantasia. Juran apenas aceitou trabalhar em Ataque da Mulher Gigante utilizando o seu nome do meio (Hertz), já que tinha receio que a (falta) de qualidade do filme prejudica-se a sua carreira. Os receios de Juran não eram infundados: muito embora a interpretação segura dos actores, a fotografia de Jacques Marquette ter um look expressionista e a música jazz contribuir para o ambiente do filme, a verdade é que os ridículos efeitos especiais de Ataque da Mulher Gigante deitam por terra qualquer credibilidade do filme e fazem esquecer os seus pontos positivos.

Filmado em apenas oito dias e com um custo inferior ao orçamentado, Ataque da Mulher Gigante conseguiu uma receita de 480 mil dólares aquando da sua estreia e, é hoje, um marco do cinema de ficção cientifica (mais por ser tão mau que se torna “bom”). Para este estatuto muito contribuiu o poster original do filme, que é considerado um dos melhores de sempre da história do cinema, muito embora a sua imagem não represente nenhuma cena do filme.


Attack of the 50 Foot Woman Allied Artists Pictures, Estados Unidos, 1958, 65 min., ficção-cientifica. Realizador: Nathan Hertz. Argumento: Mark Hanna. Actores: Allison Hayes, William Hudson, Yvette Vickers, Frank Chase, George Douglas, Roy Gordon.

Uma mulher, traída pelo marido, testemunha a chegada de uma nave extra-terrestre e devido à radiação desta torna-se num gigante de 15 metros.