Alien – O 8.º Passageiro (1979)

Após o falhanço de bilheteira de Estrela Negra (1974), a primeira longa-metragem do realizador John Carpenter, o argumentista Dan O’Bannon quis escrever um filme de ficção científica mais sério. Em colaboração com Ronald Shusett, O’Bannon escreveu Alien – o 8º Passageiro, um thriller de baixo orçamento, mas intenso e, com a ajuda dos desenhos criados pelo seu amigo ilustrador Ron Cobb, começou a negociar o seu argumento. Muitos foram os interessados, mas foi a pequena produtora Brandywine, que tinha um acordo de produção com a 20th Century Fox, que acabou por comprar o argumento.

Com um orçamento inicial de 8 milhões de dólares, a produtora contratou Walter Hill para realizar o filme, mas a 20th Century Fox mostrou reservas em relação ao filme: o estúdio tinha gasto uma considerável quantia na produção, do ainda por estrear, A Guerra das Estrelas e não sabia se este teria sucesso ou não. A produção de Alien – o 8º Passageiro foi, assim, suspensa, o que provocou o abandono de Walter Hill do projecto, não sem antes ter reescrito parte do argumento. Com o sucesso de A Guerra das Estrelas, a 20th Century Fox avançou, então, para a rodagem do filme, mas agora com o realizador Ridley Scott, cuja única experiência era como realizador de publicidade em Inglaterra.

O argumento original de Dan O’Bannon continha uma nota a dizer que todos os personagens eram unisexo, mas o argumentista nunca pensou que o protagonista seria uma mulher. Tom Skerritt foi contractado inicialmente para interpretar a personagem principal, Ripley, mas Alan Ladd Jr., o responsável pela 20th Century Fox, sugeriu que a personagem fosse uma mulher. Veronica Cartwright foi considerada para protagonista, mas a escolha final acabou por recair em Sigourney Weaver.

Uma das áreas em que Alien – o 8º Passageiro se destaca é a nível do desenho de produção, nomeadamente na nave, planeta e, principalmente, no extraterrestre, tudo compondo um ambiente terrivelmente aterrorizador. Embora muitos tenham trabalho nesta área, é ao artista suíço H.R. Giger que se deve maioritariamente o aspecto do filme. Giger tinha trabalhado com Dan O’Bannon em França, numa adaptação cinematográfica do livro “Dune”, que acabou por não avançar e este ficou tão impressionado com os desenhos do artista impressionista suíço que baseou o extraterrestre no seu trabalho. Já durante a produção, Giger foi chamado a colaborar no filme, tendo imaginado e construído cenários nos estúdios Shepperton, em Inglaterra, onde o filme foi rodado.

O design de** Alien – o 8º Passageiro** foi uma das razões do sucesso do filme, que foi muito bem recebido pela crítica e pelo público, tendo ganho o Óscar para melhores efeitos especiais. Embora tenha beneficiado da moda que A Guerra das Estrelas iniciou, a verdade é que** Alien – o 8º Passageiro** é meritório por si próprio. De tal forma, que influenciou o género e o seu sucesso deu origem às sequelas Aliens: o Rencontro Final (1986), Alien 3 – a Desforra (1992) e Alien: O Regresso (1997), para além do aproveitamento da personagem para a série Alien vs Predator.


Alien 20th Century Fox, Estados Unidos, 1979, 117 min., ficção científica. Realizador: Ridley Scott. Argumento: Dan O’Bannon, baseado na história de Dan O’Bannon e Ronald Shusett. Actores: Sigourney Weaver, Tom Skerritt, Veronica Cartwright, Harry Dean Stanton, John Hurt

Os tripulantes da nave Nostromo investigam um sinal de ajuda com origem num planeta distante e, inadvertidamente, levam para bordo uma criatura com quem vão travar uma batalha mortal.